Sexta-feira, 22 de Outubro de 2004

MINISTRO DAS BARBARIDADES PÚBLICAS

images.jpg

Um ministro que julga que o charme disfarça as barbaridades ditas e reditas, disse isto ontem na RTP (em entrevista a Judite Sousa), segundo o relato da Lusa:

”Quanto à refinaria de Leça da Palmeira, cujo relatório apresentado pelo Ministro Nobre Guedes aponta o dedo à Galp, António Mexia diz que a decisão de encerramento vai competir ao Ministo das Actividades Económicas, e a todas as outras pessoas que à sua volta tenham de dar contributos. Do ponto de vista da empresa, considera que a questão essencial é que nos últimos 3 anos, a Galp, orgulha-se e todas as pessoas que lá trabalham deve orgulhar-se, de uma viagem que fizeram do ponto de vista de alteração de cultura, de criação de valor, de melhoria das responsabilidade, em particular naquilo que diz respeito aos critérios de segurança. Mexia afirma que tudo o que é feito em Leça, pode ser feito em Sines.”

Este bárbaro engomado e engravatado, que desgovernou a Galp durante três anos, fazendo uma carreira no Estado que ele quer varrer onde quer que exista.

Este bárbaro enriquecido (não dizem que é o ministro mais rico?), que a imprensa noticiou que gastou um milhão de contos a destruir a imagem da Galp quando entrou e outro milhão a repô-la.

Este bárbaro ministriado, que tudo fez para definhar a actividade petrolífera e dar todo o gás ao gás natural.

Este bárbaro adulado por jornalistas sedentos de pão para a bucha e para os outros gastos, que anunciou a intenção de acabar com as actividades de refinação e de exploração petrolíferas.

Este bárbaro santanete, lançado por Pina Moura, que, disse a Petrocer, tudo fez para que a Carlyle de Carlucci metesse o dente e as garras na Galp.

Este bárbaro com a estrelinha da sorte, a quem os deuses permitiram que o acidente em Leixões ocorresse dias depois de deixar a presidência da Galp e assim não prestar contas sobre a segurança pela qual (não) zelou.

Este bárbaro com pose de pavão, que presidiu a uma empresa e saiu dela sem saber que na Refinaria do Porto se processam produtos que não são processáveis na Refinaria de Sines.

Este bárbaro arrogante, que tratou os trabalhadores da Galp como se fossem um custo.

Este bárbaro só podia ser ministro com Santana Lopes.
publicado por João Tunes às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De TREX a 22 de Outubro de 2004 às 23:40
Que bem escrito! Continua a cascar-lhes forte e feio que essa cambada de arrogantes e possidónios bem o merece!


De daniel tecelo a 22 de Outubro de 2004 às 23:11
Deus os fez, Deus os juntou!!!


De Sem Chumbo 95 a 22 de Outubro de 2004 às 22:15
Apoiado. Os bluffs são eternos.

Quero deixar aqui a saudade de alguns dos seus textos (o Bandeirinha por exemplo). Another time another place


De IO a 22 de Outubro de 2004 às 17:47
Realmente, este 'omem, ministro, só mesmo com um grande líder!...


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. COMPLEXOS DE ESQUERDA

. ONDE MEXE MEXIA?

. AGORA

. ...

. SIM, ZAPATERO

. AO MANEL

. DESGOSTO ANTECIPADO

. CHISSANO ARMADO EM SPARTA...

. DOMINGO ANTECIPADO

.arquivos

. Setembro 2007

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds