Sábado, 25 de Setembro de 2004

NILO E SINAI (26)

Egipto 1000.JPG

Cemitério à medida da cidade, ontem na periferia, hoje encravado cidade dentro.

Os cairotas, no seu culto aos mortos, tratam-nos como se estes tivessem necessidades de habitação. Visitam-nos regularmente, em bando familiar, para com eles conviverem e partilharem refeições. Porque imaginam que a solidão dos mortos é desolação que ninguém merece.

Constroem mausoléus que permitam a instalação do convívio entre vivos e mortos. Contratam guardas para cuidarem dos mausoléus dos seus e zelarem pela sua conservação e contrariarem ímpetos de saque.

Muitos dos guardas das habitações dos mortos encontraram ali melhores instalações de habitação que nos tugúrios de subúrbio. Depois, muitos familiares, demandando sítio para estar na capital, foram-se acolhendo a esses apartamentos. Falaram-me num número actual de habitantes vivos do cemitério entre cem mil e um milhão de vivos. Quem vive e onde vive, procura melhorar a sua qualidade de vida, e assim se foram electrificando os mausoléus e dando-lhes outras mordomias.

Continuam na cidade dos mortos e dos vivos, a viver muitos e a enterrar outros tantos. Coabitação, pois.
publicado por João Tunes às 01:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. COMPLEXOS DE ESQUERDA

. ONDE MEXE MEXIA?

. AGORA

. ...

. SIM, ZAPATERO

. AO MANEL

. DESGOSTO ANTECIPADO

. CHISSANO ARMADO EM SPARTA...

. DOMINGO ANTECIPADO

.arquivos

. Setembro 2007

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds