Quarta-feira, 17 de Novembro de 2004

SENTIR O MAR

manolis_tsantakis_2.jpg

O mar pode ser um culto. E tão profundo que nos mereça curvar a cabeça e escondê-la, dando-lhe os cabelos para suporte da viagem da maresia. Talvez na vã esperança que o salitre nos tempere as fragilidades, resguardando-as na salmoura da auto-estima.

Sou um homem de rios, já o disse. Talvez por recato de timidez ou por susto contido para com a bravura do mar. Uma contradição, porque quanto a terras, bem que prefiro a montanha à planície, a que acresce o enfado para com a lezíria. E em que o Marão é a minha medida de toda a beleza das alturas. Sobrando que a vista que mais me encantou e encanta é, em todas as paisagens do meu correr o mundo, a planície desde que seja alentejana. Mais a savana africana, é claro. E as bolanhas da Guiné que me marcam a memória. Não dispensando, também na memória, a partilha de sonhos com o Índico, o mais romântico dos oceanos, quando refresquei os olhos com ele na vista, lá na Costa do Sol em Maputo. Mais o espectáculo único de espreitar o mar, em oração de não crente beato, no Cabo Espichel. Contradições, só contradições. Mas de que é que um homem seria feito se não tivesse os conflitos da contradição? De nada, digo, por não acreditar na grandeza do mesmo, transformado em sacristia e túmulo antecipado dos normais correctos.

Pois, o mar. Eu percebo-te, companheira de imagem. Pelo prazer infinito que eu sinto, em luxúria fria, de ser despenteado no cimo do Cabo Espichel - um dos lugares mais bonitos e mais místicos do mundo. Ainda por cima, com o valor acrescentado de me recordar a Foz e o Cabo do Mundo, teimosamente a juntarem norte e sul, baralhando a minha filiação de partido geográfico, tornando-me mais rico, isso sim.
publicado por João Tunes às 15:34
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Sonia F. a 23 de Novembro de 2004 às 14:16
Como é possível não ter reparado antes neste texto tão belo? Eu nasci e vivi rodeada pelo mar. Sinto-o assim como está ali escrito, tanto pelas palavras como pela imagem. No Índico, no Atlântico, sinto-o sempre da mesma forma, avassalador.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. COMPLEXOS DE ESQUERDA

. ONDE MEXE MEXIA?

. AGORA

. ...

. SIM, ZAPATERO

. AO MANEL

. DESGOSTO ANTECIPADO

. CHISSANO ARMADO EM SPARTA...

. DOMINGO ANTECIPADO

.arquivos

. Setembro 2007

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds